top of page

O Caso Thiago Neves


Quando se pensa em Thiago Neves logo se vem à cabeça sua qualidade técnica e seus títulos nos clubes em que passou. Formado pelo Paraná Clube, já foi campeão da Copa do Brasil duas vezes, bola de ouro em 2005 e 2007 e traz uma carreira vitoriosa.


Porém, atualmente com 35 anos, ao tentar se transferir de clube - do Grêmio (que fez apenas 14 partidas) para o Atlético-MG – se viu sendo um dos personagens dos noticiários esportivos.


Isso se deu pela recusa dos próprios torcedores do Atlético-MG em sua contratação, tendo em vista que o jogador foi peça fundamental nos títulos do rival, em anos passados.


Mas este não é bem o motivo principal, pois já vivenciamos outras trocas entre jogadores de clubes rivais, como o caso aqui em Curitiba do lateral Thiago Carleto vindo do Coritiba para o Athletico, ou então mais recentemente do ídolo coxa-branca Adriano, vindo do Barcelona para o CAP, ou até mesmo o Vina (Vinicius), meio-campista do Ceará, que passou pelos 3 clubes do Estado.


É normal, jogadores veem com profissionalismo, ou deveriam ver, as trocas entre clubes, e principalmente entre rivais.


O que aconteceu no caso do Thiago Neves é que houve o vazamento de diversos vídeos, ainda na época do Cruzeiro, ofendendo e ridicularizando o Atlético-MG, em momentos de títulos do rival. E isso no mundo do futebol, quando se mexe com paixão dos torcedores, muitas vezes, ou senão em cem por cento dos casos, é um tiro no pé.


Jogador de futebol tem sim que extravasar quando se conquista títulos, pois todos sabemos que a caminhada é longa e dificultosa, mas jamais ofendendo quem quer que seja, ainda mais se for o rival.


Hoje, aos 35 anos, aproximando-se do final de sua carreira profissional, um episódio desses pro Thiago Neves não era nem um pouco necessário, e a lição que fica pros demais jogadores é o investimento em uma gestão profissional de sua imagem - tema tão debatido aqui na Fidem – não tornando o jogador um robô com respostas prontas, mas mostrando sua verdade em suas atitudes, amparado ao seu redor de profissionais gabaritados para situações como essas.



Por Clayton Gemba Jr

17 visualizações0 comentário

Comentarios


Post: Blog2_Post
bottom of page